Jornal Athos LogoJornal Athos

Bate boca no encerramento do Gideões

Bate boca no encerramento do Gideões

sexta, 04 de maio de 2018

Durante o encerramento dos 36º Congresso dos Gideões Missionários da Última Hora, em Camboriú (SC), o vice-presidente pastor Hueslen Santos decidiu dar publicamente uma resposta ao Cabo Daciolo, que teve uma participação polêmica no último sábado.
 
Quando recebeu oportunidade, o deputado federal e pré-candidato a presidente da república pelo PEN, entregou uma palavra para a organização do evento, dizendo que Deus não queria pastores que são maçons no púlpito.
 
Daciolo também afirmou que se o dinheiro das ofertas fosse dividido com os presentes, uma vez que muitas pessoas estariam sem dinheiro para se alimentar, Deus iria multiplicar o valor. No momento em que o deputado fez o desafio, o presidente dos Gideões Reuel Bernardino aceitou.
 
Porém, Hueslen disse que a fala do carioca constrangeu a ele e a Reuel. Citando os outros deputados estaduais e federais que passaram pelo Congresso, enfatizou que todos agiram com “respeito”, menos Daciolo.
 
Além de dizer que o deputado não deveria ter anunciado que estava em um propósito de jejum, pois “não é para tocar trombeta quando se jejua”, reclamou que ele não contribuía para a obra dos Gideões.
“Ele pediu que dividíssemos com a multidão o dinheiro arrecadado. Por que ele não dá o salário de deputado federal? Ele ganha dinheiro do povo! Por que não foi o primeiro a vir aqui e dizer: ‘Eu quero dar o meu salário de deputado’”, disparou Hueslen.
 
Deixou claro que Daciolo estaria tentando se “promover” e querer ensiná-los a fazer missões.
Anunciando que os Gideões enviam missionários para 44 países, o vice finalizou com um desabafo: “Eu lhe perdoo. O senhor [Daciolo] é convidado a vir aqui em 2019, 2020, 2050 se Jesus não voltar. Mas tenham temor quando citam o texto sagrado e usem o nome de Deus quando Deus não falou e não mandou dizer”. Logo após ele concluir, o público presente aplaudiu muito.
 
Fonte:gospelprime
Veja Também